A evolução dos motores Harley-Davidson

Tão lendários quanto suas motocicletas, os motores desenvolvidos pela Harley-Davidson ao longo de sua história influenciaram gerações de motocicletas custom ao redor do mundo. Do Flathead ao Revolution X, conheça a evolução dos motores Harley-Davidson .

Flathead (1903-1948)

A característica dos motores flathead são as válvulas montadas nas laterais dos cilindros. No caso da Harley-Davidson, o flathead monocilíndrico foi utilizado entre 1903 e 1934, enquanto os flathead de dois cilindros em V estrearam em 1930 e seguiram até 1948 quando foram substituidos pelo moderno Panhead com cabeçote de alumínio. Foi produzido apenas na versão com 737 cm³ (45 polegadas cúbicas).






Knucklehead (1936-1947)

O "Knucklehead" foi um motor Harley-Davidson, apelidado desta forma por causa do formato distinto de suas varetas atuadoras. O motor é um dois cilindros a 45º com duas válvulas por cilindro alocadas no cabeçote e comando no bloco do motor com varetas atuadoras. Foi a terceira geração de motores bicilindricos em V usados pela Harley-Davidson, substituindo o motor Flathead de 1930 nas Harley-Davidson topo de linha. O motor foi fabricado até 1947 nas versões com 983 cm³ (60 polegadas cúbicas) e 1.212 cm³ (74 polegadas cúbicas) e substituído pelo Panhead em 1948. O motor Knucklehead foi originalmente referido como OHVs pelos entusiastas da época; o apelido Knucklehead surgiu na cultura chopper dos anos 1960 na Califórnia. O design dos motores Harley-Davidson evoluiu ao longo dos anos, mas a forma distinta das tampas do comando de válvulas permite aos entusiastas da Harley-Davidson reconhecer o tipo de motor apenas olhando o desenho do cabeçote de válvulas. Um motor knucklehead possuem varetas circulares semelhantes aos nós dos dedos o que talvez explique o apelido de knucklehead (cabeçote - nós dos dedos).




Panhead (1948-1965)

O Panhead (cabeça-de-panela) ganhou este nome pelo formato peculiar de seus cabeçotes semelhantes a panelas de ponta-cabeça. O motor é um V2 com duas válvulas por cilindro acionadas por varetas hidráulicas. O motor substituiu o Knucklehead em 1948, apresentando melhor circulação de óleo e rolamentos roletados, elementos que proveu maior durabilidade ao Panhead, além dos cabeçotes em alumínio. Contava com as mesmas opções de cilindrada com 983 cm³ (60 polegadas cúbicas) e 1.212 cm³ (74 polegadas cúbicas), equipando as motocicletas até 1965 quando foi substituído pelo Shovelhead. A chopper "Capitão América" usada Peter Fonda no filme Easy Rider (1969) tinha um motor Panhead. No momento, diversos fabricantes de terceira linha produzem motores no estilo dos motores Panhead numa variedade de cilindrada muito maior do que a original. Vários fabricantes incluem significantes atualizações ao projeto original e drasticamente aumentam o desempenho e confiabilidade, mas mantendo o estilo original do motor.




Shovelhead (1966-1984)

Saem os "cabeças-de-panela", entram os "cabeças-de-pá". Os motores Shovelhead ganharam este apelido pelo formato de seus cabeçotes que tinham formato semelhante às pás de carvão. Inicialmente tinha 1200 cm³ (73 polegadas cúbicas) e a partir de 1978 teve uma versão aumentada com 1340 cm³ (82 polegadas cúbicas). O Shovelhead foi um aperfeiçoamento do Panhead descontinuado em 1965, mas com um visual diferente e o primeiro a suprir as motocicletas dotadas de corrente elétrica de 12V. Esta nova arquitetura fazia com que os motores shovel gerassem 10% a mais de potência do que os Panhead com a mesma cilindrada.




Evolution (1984-1999)

Também conhecido como "Blockhead" , o Evolution estreou em 1984 com 1.340 cm³ (82 polegadas cúbicas) aposentando o Shovelhead, mas foi fabricado também nas versões 1.100 cm³ (67 polegadas cúbicas), 883 cm³ (53,9 polegadas cúbicas) e 1.200 cm³ (73 polegadas cúbicas) para a linha Sportster. O Evolution ao contrário de seus predecessores pode ser utilizado sob as mais severas situações e rodar por centenas de quilômetros com confiabilidade. Seu diferencial é o uso de alumínio na confecção de seus cabeçotes e cilindros, o que contribui com melhor dissipação do calor e menor peso do conjunto. Foi o primeiro motor Harley-Davidson a ser projetado com a ajuda de computadores, recebeu melhorias ao longo do tempo para garantir ainda mais confiabilidade e menores emissões de poluentes. As versões de 883 cm³ e 1.200 cm³ ainda equipam a linha Sportster.




Twin-Cam (1999-2016)

Foram os primeiros motores com duplo comando de válvulas utilizados nas Harley-Davidson. Foi desenvolvido como sucessor do Evolution em 1999 com versões: 1.442 cm³ (88 polegadas cúbicas), 1.556 cm³ (95 polegadas cúbicas) e com 1.586 cm³ (96 polegadas cúbicas). A partir do ano 2000, a família Softail recebeu as novas versões 88B e 96B, que contavam com sistema de contrabalanceadores que amenizavam o problema de vibração excessiva nas motocicletas desta gama. Em 2010 a versão 1.690 cm³(103 polegadas cúbicas) foi introduzida nos modelos da família Touring e em 2012 na linha Softail, enquanto a versão com 1.801 cm³ (110 polegadas cúbicas) equipava as séries especiais Screamin' Eagle e CVO. Em 2014, dentro do projeto Rushmore, um circuito de resfriamento líquido (Twin Cooled) foi adicionado aos cabeçotes dos motores Twin-Cam presentes na família Touring.




Revolution (2001-2017)

Esta linha de motores representou uma revolução na história da Harley-Davidson por adotar refrigeração líquida com duplo comando de válvulas no cabeçote e ângulo de 60º entre os cilindros. Esta configuração mais moderna perimite a estes motores alcançar picos de até 9.000 rpm, gerando facilmente potências superiores aos 110 hp. O Revolution foi derivado da Harley-Davidson VR-1000 que competia no Campeonato Norte-Americano de Superbike, e desenvolvido em parceria com a alemã Porsche para equipar a nova V-Rod, lançada em 2001. Originalmente apresentado na versão com 1.131 cm³ (69 polegadas cúbicas) e 115 hp, teve uma versão especial com 1.247 cm³ (76 polegadas cúbicas) para equipar as V-Rod da série especial Sreamin' Eagle entre 2005 e 2007, passando a ser o motor padrão nos modelos V-Rod a partir de 2008. Ficou em produção até 2017, quando a família V-Rod foi extinta.




Revolution X (2013-atual)

Os motores Revolution X são variantes menores e simplificadas dos motores Revolution de 2001, especialmente desenvolvidos para equipar as motocicletas compactas da linha Street. As principais alterações técnicas para simplificar estes motores foram a adoção de um cabeçote de comando simples, válvulas reguláveis por parafuso e porca, contrabalanceador interno mais simples e cárters divididos verticalmente. Os motores Revolution X foram ainda mais criticados por terem cilindradas consideradas pequenas pelos consumidores mais conservadores da marca: 494 cm³ (30 polegadas cúbicas;) e 749 cm³ (45.8 polegadas cúbicas).


Milwaukee-Eight (2017-atual)

O Milwaukee-Eight é o terceiro motor completamente desenvolvido do zero pela Harley-Davidson em 80 anos. Seu grande diferencial são as 4 válvulas por cilindro e o retorno à configuração de comando simples com acionamento por varetas (OHV) substituindo após 17 anos, os Twin-Cam nos modelos de topo da marca. O sistema de refrigeração é misto ar-óleo na versão 107 de 1.746 cm³ enquanto as versões 114 com 1.868 cm³ e 117 com 1.923 cm³ recebem refrigeração líquida adicional apenas nos cabeçotes (sistema denominado Twin Cooled), melhorando a geração de potência e contribuindo para a diminuição nas emissões de gases. Todas as versões são equipadas com contrabalancadores que reduziram a vibração em 25%.

Com duas válvulas adicionais e agora com duas velas por cilindro, o Milwaukee-Eight 107 tem uma taxa de compressão de 10:1 ao invés dos 9,2:1 do Twin-Cam 103 o que gera 10% a mais de torque, capacidade do fluxo de admissão e exaustão 50% maior. A aceleração ficou 10% mais eficiente comparando o Milwaukee 107 com o Twin-Cam 103 e 8% mais eficiente comparando o Milwaukee 114 com o Twin-Cam 110.




1718 visualizações / TAG: TECNOLOGIA

SOCIAL

EXTRAS

BANCO DE DADOS

528

Fichas técnicas cadastradas no Motorium

SOCIAL

Facebook Icon